Este blog contém posts e comentários.

Este blog recebe e agradece as visitas desde Fev/2009.

Contador de visitas

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

O CASO KELVIN



Essa história é baseada em fatos reais e aconteceu com um amigo de infância, mas todos nós podemos nos deparar com essa ocorrência em nossas vidas, portanto devemos ter todo o cuidado, e ainda é pouco. Vou chamar esse meu amigo de Kelvin para que seja respeitado o sigilo de sua real identidade.
Kelvin chegava à cidade maravilhosa do Rio de Janeiro a fim de passar o réveillon com seus parentes cariocas, por volta do ano de 1982, quando tinha apenas 18 anos de idade, jovem sonhador e ansioso por conhecer todas as maravilhas que o deixava deslumbrado nos comerciais na TV, praias, Cristo Redentor, bondinho, pão-de-açúcar, Copacabana, Leblon e Ipanema.
A cabeça de Kelvin girava prá lá e pra cá, filmando e fotografando tudo com os seus olhos azuis, enquanto seu cérebro alucinado com tantas novidades para um jovem do interior, recém emancipado, tendo nascido e se criado em uma pequena e pacata cidade com pouco mais de três mil habitantes.
Seus parentes foram esperá-lo na rodoviária, e seguiram rumo a um bairro de classe média baixa na longínqua periferia carioca, distante mais de hora da rodoviária, assim como dos principais pontos turísticos.
Ir a praia, por exemplo, era uma verdadeira maratona com troca de coletivos por no mínimo três vezes, sem falar que estavam sempre lotados e as pessoas que se encontram de pé as vezes se empurravam seguindo o movimento da lotação em busca de melhor acomodação nos cantos do ônibus.
Kelvin estava tão absorto em observar tudo que nem havia percebido a pessoa que entrara no coletivo e que se aproximou dele com um pequeno empurrão encostando-se nele totalmente, estacionando-se, podendo sentir o hálito quente da jovem em seu rosto e o cheiro do perfume barato, mas que naquele momento exalava um cheiro bastante agradável.
Assim que Kelvin olhou para a linda jovem, morena, de olhos castanhos, corpo esbelto e esguio sob a calça jeans surrada e a belíssima camiseta lilás que apertava carinhosamente os fartos e belos seios, ela sorriu para ele amigavelmente como que se desculpando pelo choque “inesperado”.
Kelvin também sorriu para a bela morena e continuaram a viagem, e de vez em quando a belíssima jovem encostava mais no rapaz apertando-o contra si, levando-o a pensar estar sendo xavecado pela jovem.
Ela sempre sorrindo deixava a mostra seus dentes alvos e limpos como pequenas mechas de algodão, bem esculpidos na boca torneada por belos lábios carnudos, que o batom cheiroso e vibrante contornava com grande encanto.
Não demorou muito e com um sorriso de arrepiar, a bela jovem pediu licença, pois, iria descer no próximo ponto, e aproveitou o balanço do coletivo para dar mais uma eletrizada no jovem Kelvin, se encostando inteira em seu corpo, enquanto acionava graciosamente a solicitação de parada do coletivo.
Em silêncio o jovem Kelvin viu descer do ônibus a sua primeira e mais linda descoberta na sua “turnê” pela cidade maravilhosa, enquanto com a boca ainda seca se lamentava por não haver abordado aquela bela jovem. Que oportunidade perdera, pensava o jovem.
E em seus devaneios seguiu sua viagem por mais uma hora ainda, e não deixava de pensar na graciosa jovem que havia estado ao seu lado por longo tempo e sequer teve a coragem de perguntar-lhe o nome. Mas, agora já era tarde e foi-se a esperança.
Seus parentes fizeram sinal com a mão para que se adiantasse, pois, desceriam no próximo ponto. Enfim, haviam chegado ao seu destino.
Kelvin desceu, ainda perplexo em seus devaneios pela linda jovem, quando se deu conta de que havia sido roubado.
Sua carteira contendo todos os seus documentos, talão de cheques, cartões de crédito, licença provisória de habilitação, entre outros o seu dinheiro economizado durante o ano para gozar as férias tão sonhadas! Tudo perdido, por um momento de ilusão e devaneio irresponsável.
E agora? O que fazer?
? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ?
1) Ligar imediatamente para o banco e administradora dos cartões (anote previamente os números na sua agenda, pois, não terá em mãos os objetos);
2) Chame imediatamente o SPC e SERASA (e outros orgãos de crédito se
houver) para pedir que seja colocado um alerta de fraude em seu nome e número de CPF;
3) Dirija-se a delegacia da jurisdição onde ocorreu o roubo e registre o BO, (tenha sempre em mãos o BO, que é a prova de que fora vítima de roubo, e lhe será útil nas próximas compras);
4) Procure os órgãos competentes para a emissão de segunda via dos documentos;
5) As vezes os ladrões esperam anos para agir, com relação ao talão de cheques continue renovando a oposição ao pagamento (em alguns bancos é automática);
6) OPCIONALMENTE, costuma-se também publicar um pequeno anúncio em jornal de grande circulação informando os números dos documentos roubados (ajuda a isentá-lo de culpa por ações do ladrão utilizando seus documentos);
DICAS:
a) Ao invés de assinar o verso seu cartão de crédito, escreva: “SOLICITAR RG”;
b) Peça ao banco para colocar no seu talão apenas as iniciais do seu nome, em vez do nome completo;
c) Coloque na carteira apenas o dinheiro necessário para locomoção, deixando o valor maior distribuído nos diversos bolsos disponíveis, ou outros locais estratégicos, minimizando a perda em caso de roubo;
d) Tenha os números de telefone gratuitos e os números de cartões à mão, assim você sabe quem chamar. Mantenha estes onde você os possa achar.
e) Tenha guardado em casa cópia xerográfica de todos os documentos que você porta em sua carteira, assim, se você for roubado ou perder sua carteira saberá com certeza tudo o que estava na mesma, e facilitará a requisição das segundas vias;
Fiquem atentos e que Deus os abençoe! FELIZ 2010!
(a) Adm. Jésus Fernandes Leão

Visualizações desta Matéria:
contador de acesso
LER O ARTIGO COMPLETO...

sábado, 26 de dezembro de 2009

O CLIENTE



Encantamento do Cliente?

O livro “CLIENTE NUNCA MAIS” do autor SERGIO ALMEIDA é um verdadeiro almanaque de sátiras que nos dá um curso intensivo de desatendimento ao cliente.

Embora nos pareça muito engraçado, apesar de ter sido lançado há mais de 15 anos, o livro trás em suas páginas a forte tendência ao descaso e desinteresse pelo consumidor, que somente é visto s quais todos almejam retirar com maestria e mago através dos cifrões $$$$$$$$$$$ que carrega em seu bolso, os quais todos almejam retirar com maestria e sutileza. (Cliente Cifrão)

Nesta obra visualizamos exatamente TUDO o que não deve ser feito ao cliente.
Na página 47 do livro temos a dica 118, de como não devemos tratar o cliente:

“Quer tratar mal os clientes? Então trate mal seus funcionários. Estes se encarregarão do objetivo final.

O funcionário que não tem seu trabalho reconhecido na empresa fica insatisfeito e irritado com tudo e com todos, e, conseqüentemente não irá se importar com o cliente seja ele quem for. Ele não está se importando se vai ser demitido, aliás, deve até estar desejando isso, assim ele pega o seguro desemprego e a multa de 40% do FGTS.

Abaixo, uma poesia em forma de uma sátira ao tratamento que o cliente não espera de seu atendente, por mais que seja seu “amigo”:

POESIA : “O Cliente”

O cliente chegou contente
O vendedor o chamou
Chega mais seu corno
Vem pra junto da gente!

Pobre cliente, se assustou
Vem cá, eu te conheço?
Eu sou o novo vendedor.
Minha função é atender bem ao cliente!

Desculpe-me minha ignorância, mas...
Posso falar com o gerente?
Ele está fazendo curso de atendimento ao cliente.

O cliente aqui tem vez, pode entrá e comprá.
Vendo geladeira, sofá, televisão,DVD, computador, e celular.
Diga lá ô chifrudo, o que você vai comprá?

Eu procuro atendimento, educação, respeito, encantamento...
Isso num temos não, procure no concorrente.
Bem ao lado existe um que se importa com cliente!

Pensem nisso e fiquem com Deus!

(A) ADM.JÉSUS FERNANDES LEÃO

  Visualizações desta Matéria:

LER O ARTIGO COMPLETO...

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

DICAS SOBRE ARTIGOS CIENTÍFICOS



21 DICAS SOBRE ESTRUTURAS

A NBR6022, diz que o artigo é um texto de autoria declarada, onde o autor discute suas idéias, métodos, técnicas, processos e resultados encontrados. 

Assim...

1)Não convém efetuar muitas subdivisões para que o leitor não perca a seqüência;

2) Artigo compõe-se de: 

    a) Nome (seguido de breve currículo em nota de rodapé); 
    b) Resumo (obrigatório);
    c) Introdução (delimita o assunto, objetivo, esclarece o tema); 
    d) Referencial teórico (desenvolvimento do trabalho com base nas palavras-chave); 
    e) Conclusão (não pode ser maior que o resumo nem menor que a introdução);

3)O resumo deve ter no máximo 250 palavras, espaço simples, no mínimo 3 e máximo 6 palavras-chave, que devem constar nos descritores (dicionários registrados na ONU, que contém todas as palavras-chave da área). Há descritores de Direito, Pedagogia, Contabilidade, Administração,etc;

4) A língua oficial é a inglesa, devendo ser utilizada para a tradução do resumo na língua estrangeira, evitando-se o uso de idiotismo (palavras sem tradução em outra língua)e os metadados (dados associados aos artigos) devem estar supercorretos;

5) A página deve ter a margem superior e esquerda com 3 cm, e a margem direita e inferior com 2 cm;

6)A fonte deve ser: arial, tamanho 12 para a parte textual;

7)Utilizar os verbos sempre no infinitivo. Ex: estudar, fazer, controlar, praticar, comprovar, etc;

8) Na introdução não se deve inserir “citações”;

9) As citações até 3 linha devem ser inseridas no parágrafo entre aspas duplas, sem itálico e sem negrito, e se houver citação dentro do texto citado a aspa existente é substituída por aspa simples, e caso a citação inicie com letra maiúscula deve ser precedida por dois pontos (:)

10) As citações com mais de 3 linhas vai em parágrafo de 4 cm distinto, fonte tamanho 10, sem aspas e espaço simples;

11) Caso omita alguma palavra dentro de uma citação indique isso através de elipses entre colchetes [...];

12) Um artigo deve conter no mínimo 4 se for área de exatas e no máximo 6 páginas se for da área de humanas;

13) O título da obra deve ser escrito em itálico, enquanto o subtítulo em letras normais por se tratar de item complementar;

14) O negrito deve ser evitado, até porque isso encarece a obra por despender de maior quantidade de tinta;

15) O número de página é opcional, pode vir ou não relacionado;

16) Corte pela raiz o uso de tautologismo: repetição de idéias com palavras diferentes, mas com mesmo sentido. Ex: subir para cima, certeza absoluta, quantia exata, juntamente com, descer para baixo, fato real, conviver juntos, etc.

17) O objetivo dos artigos é dar conhecimento do resultado de pesquisas originais, dar uma nova forma de abordagem a uma questão antiga ainda não resolvida, exposição de análise ou assuntos controvertidos;

18) Para que o seu artigo tenha boa consistência é necessário que pelo menos 40% das fontes utilizadas sejam livros, os outros 60% pode ser distribuído entre revistas, jornais, internet e outras fontes;

19) Tudo deve ser elaborado a luz das Normas da ABNT;

20) Se o seu artigo refere-se a trabalhos em fase de elaboração e ainda não concluído, você precisa colocar o alerta para o caso: (em fase de elaboração);

21) Se pretendes fazer referencia a alguém no seu artigo, jamais coloque os nomes completos, mas apenas as iniciais, por exemplo: ”Durante a entrevista a senhora E.A.M.L. informou aos advogados que o caso estava sendo mal interpretado e que os srs. H.M.L. e J.M.A não sabiam o que estavam falando e ofenderam a única pessoa correta no caso em análise.”;

21) ) Existem cópias de todos os artigos do mundo guardados na Universidade de Columbia no Canadá para evitar que os documentos se percam com o passar do tempo, assim, fique atento com o que você irá escrever em forma de artigos publicados, porque sua idéia será imortalizada;

Um grande abraço e muito sucesso em seus artigos.

(a)Adm.Jésus Fernandes Leão

  Visualizações desta Matéria:
LER O ARTIGO COMPLETO...

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

QUEM NÃO REGISTRA, NÃO É DONO?



DIREITOS AUTORAIS

Nada é mais justo do que dar a cada um o mérito que lhe é devido, portanto, a Lei de Direitos Autorais 9610/98 vem apenas fazer justiça aos editores, escritores, músicos, fotógrafos, cientistas, inventores e vários outros artistas que se apresentam imprescindíveis para o progresso e desenvolvimento da vida humana no planeta terra e no universo.
As descobertas científicas, os estudos dos efeitos nocivos da destruição da camada de ozônio, o desenvolvimento da energia nuclear para fins de cura de doenças, os estudos desenvolvidos em busca da cura do câncer, da AIDS, a fórmula da Coca-Cola e dos transgênicos, tudo isso deve ser protegido para que o descobridor possa a cada dia se dedicar a novas descobertas.
Lembrem-se sempre que o direito da imagem é inviolável e que apenas a “arte” fotográfica pertence ao seu criador, mas, você jamais será dono da imagem do outro e para publicá-la precisa pedir autorização ao retratado, senão, sua publicação é ilegal e sujeita a penalidade e ações de danos morais.
Qualquer menção mal feita sobre alguma pessoa pode lhe colocar em “maus lençóis” resultando em danos morais, como aconteceu com um blogueiro que foi condenado a pagar R$16 mil por um comentário de internauta em seu blog, segundo noticiado no Portal de Noticias da Globo G1 por Mariana Oliveira e Marília Juste, em que o acusado teve registrado em seu blog um comentário em que insultava uma freira, diretora do Colégio Santa Cecília em Fortaleza (CE).
A cópia de livros ou parte deles, como é feito constantemente nas universidades, formando verdadeiras fontes de renda é um crime contra os autores e editores dos livros, mas falta fiscalização e a ilegalidade vai crescendo a cada dia.
Se você quiser fazer referencia ao que disse algum autor, deve conceder-lhe o crédito através de citação indicando entre parênteses o nome do autor e ano da obra. Ex: (JUNQUEIRA,1998), ou outras formas de citações diretas ou indiretas (vide normas da ABNT).
Tudo está protegido pela lei: livros, imagens, sons, programas, softwares, etc.
Ninguém pode reproduzir nenhuma obra que não pertença ao domínio público sem permissão do autor ainda que sob alegação de melhorá-la, anotá-la, ou comentá-la.
A obra intelectual produzida concede ao autor a titularidade de direitos morais e patrimoniais sobre a obra produzida.
A proteção aos direitos autorais independe de registro, conforme conta no capitulo III, art. 18 da Lei 9610, e o registro está regulamentado na Lei 5988, de 14 de dezembro de 1973, capítulo III, art. 17:
“Para segurança de seus direitos, o autor da obra intelectual poderá registrá-la, conforme sua natureza , na Biblioteca Nacional, na Escola de Música, na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no Instituto Nacional do Cinema, ou no Conselho Federal de Engenharia Arquitetura e Agronomia.”

Se a obra puder ser registrada em mais de um dos órgãos citados acima o registro deverá ser feito naquele com o qual se afine melhor.
O registro e translado da obra é gratuito.
O artigo 20 da Lei 5988 diz que “Salvo prova em contrário, é autor aquele em cujo nome foi registrada a obra intelectual, ou conste do pedido de licenciamento para a obra de engenharia ou arquitetura.”



Resumindo: “Quem não registra, não é dono!”
Registre sua obra, seja qual for, e durma tranquilo! E feliz!

$uce$$o, e fiquem com Deus!

(a)Adm.Jésus Fernandes Leão

Visualizações desta Matéria:

LER O ARTIGO COMPLETO...

sábado, 24 de outubro de 2009

JORNADA DE TRABALHO II

JORNADA DE TRABALHO

Tenho recebido diversos questionamentos dos leitores do blog Administração: Minha Paixão, a respeito da jornada de trabalho. É deveras lamentável como em pleno século XXI, ainda temos pessoas que exploram o trabalhador brasileiro impondo-lhe duras jornadas de trabalho. O trabalhador cansado, estressado, mas, necessitado se submete ao “açoite” por medo de reclamar e ir parar no “mercado de trabalho” (rua).
Ora, patrões, sejam mais misericordiosos com o vosso trabalhador, que é o responsável direto pelo seu sustento e de sua família, produzindo lucros para a sua empresa! Ademais, o trabalhador bem tratado, descansado, bem recompensado (salário justo), trabalha com muito mais amor, e consequentemente irá produzir muito mais.
Os artigos 58 e 59 da CLT, conjugados com o artigo 7º. da Constituição Federal de 1988 deixa bem claro que a jornada de trabalho máxima é de 8 horas diárias e 44 horas semanais, e que qualquer coisa diferente disso deve ser remunerado como hora extra acrescido de 50% a mais do valor da hora normal, salvo acordo escrito ou convenção de trabalho que faculta a compensação de horários.
O Art. 58 da CLT diz que duração normal do trabalho, para os empregados em qualquer atividade privada, não excederá de 8 (oito) horas diárias, desde que não seja fixado expressamente outro limite (nesta época a jornada semanal era de 48horas);
O inciso XIII do artigo 7º. da Constituição Federal de 1988 reza que a “duração jornada normal não pode ser superior 8 horas diárias e 44 semanais, facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho,e para adequar a esse artigo da Constituição as horas trabalhadas no sábado teve que ser reduzida para apenas 4 horas.
a) Cálculo da Jornada Semanal
+
Jornada de Segunda à Sexta
8 horas x 5
40 Horas
+
Jornada Sábado
4 Horas
4 Horas
=
Total Semanal
44 Horas
b) Considerando a semana de 6 dias de trabalho, temos 7:20 horas por dia (44 horas : 6 dias), conforme sugestão abaixo:


Intervalo de Almoço



Início
Inicio
Término
Termino
Total
Segunda
8:00
12:00
13:00
16:20
7:20
Terça
8:00
12:00
13:00
16:20
7:20
Quarta
8:00
12:00
13:00
16:20
7:20
Quinta
8:00
12:00
13:00
16:20
7:20
Sexta
8:00
12:00
13:00
16:20
7:20
Sábado
8:00
12:00
13:00
16:20
7:20
Total de Horas Semanais . . . . . . . .
44 h/s
c) Caso atenda melhor a empresa uma jornada de apenas 5 dias com a compensação do sábado a sugestão é a seguinte:


Intervalo de Almoço



Início
Inicio
Término
Termino
Total
Segunda
8:00
12:00
13:00
17:48
8:48
Terça
8:00
12:00
13:00
17:48
8:48
Quarta
8:00
12:00
13:00
17:48
8:48
Quinta
8:00
12:00
13:00
17:48
8:48
Sexta
8:00
12:00
13:00
17:48
8:48
Sábado
compensado



0:00
Total de Horas Semanais . . . . . . . .
44 h/s
O artigo 71 da CLT reza que em qualquer trabalho contínuo, cuja duração exceda de 6 (seis) horas, é obrigatória a concessão de um intervalo para repouso ou alimentação, o qual será, no mínimo, de 1 (uma) hora e, salvo acordo escrito ou contrato coletivo em contrário, não poderá exceder de 2 (duas) horas.
Não importa se você almoça no emprego, você terá direito no mínimo 1 hora e no máximo 2 horas de intervalo para descansar e alimentar-se.
Converse com o seu patrão ou chefe e negocie uma revisão de sua jornada, de acordo com a CLT e a Constituição Federal (MAXIMO 44 HORAS SEMANAIS), e caso julgue necessário, a empresa poderá lhe acrescentar horas suplementares (extras) em número não excedente a 2 (duas) mediante acordo escrito entre as partes ou mediante acordo coletivo de trabalho (Artigo 59 da CLT), devendo a hora extra ser acrescida de 50% (cinqüenta por cento) da hora normal (§ 1º, Artigo 59 da CLT).
Agora, saibam os patrões que o não pagamento aos funcionários do salário devido, com férias, horas extras, descanso semanal, décimo terceiro, compõem uma rubrica contábil denominada “passivos trabalhistas”, que no futuro pode comprometer os resultados e até a continuidade da sua empresa.
Pergunte ao seu contador, esclareça o assunto, e trate melhor o principal capita que sua empresa possui: “capital humano”, pois ele é o diferencial da sua empresa, e não tem preço...

Cuidado com a concorrência...

Um forte abraço a todos os leitores deste blog e fiquem com Deus!

(a)Adm. Jésus Fernandes Leão

 Visualizações desta Matéria:



LER O ARTIGO COMPLETO...

sábado, 12 de setembro de 2009

DEMONSTRE INTERESSE PELO TRABALHO


PORQUE NÃO FUI PROMOVIDO?
(autor desconhecido)

João entra na sala do diretor e reclama: 

- Por que não fui promovido no lugar do Antônio? Afinal tenho 15 anos de empresa e o Antônio só cinco! 

  O Diretor ouvindo um barulho de caminhões na rua defronte ao escritório, disse ao João: 

- Por favor, veja o que é esse barulho aí na frente.

João foi até a rua, voltou e disse: 

- É uma fila enorme de caminhões que está passando aí em frente. 

  O Diretor perguntou: 

- E o que eles estão levando?

João voltou a rua e retornando disse: 

- São Caixões. 

  O Diretor perguntou: 

- Caixões com o quê? 

  João voltou à rua e retornando disse: 

- Não dá para ver. Estão fechados. 

  O Diretor perguntou: 

- Pra onde vão os caminhões? 

  João voltou à rua e retornando disse: 

- Vão para a direção leste. 

  O Diretor disse a João: 

- Acho que já posso dar uma resposta ao seu pedido de promoção. Aguarde um pouco aqui na sala mesmo, por favor... 

  João ficou radiante esperando, enquanto o Diretor chamou o Antônio e perguntou-lhe: 

  - Antônio, por favor, tem um barulho aí na rua em frente. Veja o que é para mim. 

  Cinco minutos depois, Antônio voltou e disse ao Diretor: 

  - São nove caminhões carregados de caixas com artefatos de ferro da Siqueira & Camp Cia. Fazem parte de uma encomenda que a empresa está mandando para São Paulo. Esta manhã passaram outros dez caminhões com a mesma carga. O carregamento é consignado à firma Zanon Oliveira Ltda., da cidade de Cascavel no Paraná. 

  O Diretor agradeceu Antônio e com um sorriso virou-se para o João e limitou-se a dizer-lhe:

- Entendeu porque o Antônio foi promovido?


Pensem nisso, um forte abraço e fiquem com Deus.


(a) Adm.Jésus Fernandes Leão


Visualizações desta Matéria:
visitas
LER O ARTIGO COMPLETO...

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

DIA DO ADMINISTRADOR




PARABÉNS, AMIGO ADMINISTRADOR!

Quantas vezes você recebeu os parabéns este ano? Muitas vezes, claro!

O blog "ADMINISTRAÇÃO: MINHA PAIXÃO" vem parabenizar a todos os companheiros administradores pelo seu dia comemorado neste dia 09 de setembro.


Parabéns! Pela honestidade, probidade, honradez e descência nos relacionamentos profissionais!
Parabéns! Pelo zelo com que cumpre as tarefa e encargos assumidos!
Parabens! Pelo sigilo, discrição com os quais trata as informações confiadas por terceiros!
Parabéns!
Pela competência e dedicação com as quais honras seu título!

Parabéns!
Pela prudência, cautela, precaução e ponderação, sensatez nos julgamentos e decisões tomadas!
Parabéns! Pela humildade, modéstia e simplicidade com que cumpres o seu dever!
Parabéns! Pela imparcialidade e isenção na avaliação e julgamentos necessários em cada case assumido!
Parabéns! Pela postura de conformidade com o que é direito e justo!
Parabéns! Pela moderação, comedimento, sobriedade e parcimônia em suas atitudes!
Parabéns! Pela firmeza e responsabilidade que demonstras frente aos perigos inerentes à própria existência, como na adversidade e desventura!
Parabéns!
Pela conduta profissional e ética com a qual desempenhas sempre a sua função!
A você ADMINISTRADOR que faz o progresso acontecer e a vida ser mais feliz, todos os parabéns ainda são poucos!

O sucesso caminha com aquele que anda na justiça, por isso caro Administrador, mereces o SUCESSO QUE FAZES!


Estejam sempre com DEUS, e PARABENS por mais essa conquista! (a)Adm. Jésus Fernandes Leão


LER O ARTIGO COMPLETO...

domingo, 6 de setembro de 2009

FRACASSOS E PROBLEMAS!

QUEM É O CULPADO?

O consultor de vendas e gestor de recursos humanos, e apresentador de programa motivacional Gilclér Regina apresentou em seu boletim "Conversando com Gilclér Regina", uma estória conhecida de muitos, que faz sucesso nas palestras motivacionais e que continua atualíssima no mundo corporativo em que vivemos.

Conta a estória de uma empresa em fase de muita dificuldade, as vendas caindo e o pessoal desmotivado, balanço no vermelho, situação desesperadora, com necessidade de se fazer algo urgente para reverter o quadro caótico, mas todos se defendiam como podiam.

Os executivos diziam que a "culpa" dos funcionários da produção que não estavam produzindo com excelência, e que deveriam reformular todo o quadro de colaboradores, e que a empresa precisava de "sangue novo", pois os funcionários velhos de casa já não produziam como a empresa precisava para atender os pedidos.

Os funcionários da produção diziam que a matéria prima era de segunda categoria e que os executivos adquiriam matéria prima de baixa qualidade e que não podiam fazer milagres.
Ademais, diziam os funcionários: "O salário aqui mal dá pra comprar cesta básica, não dá para o aluguel, e trabalhamos em excesso sem receber horas extras! Somos explorados como os escravos o foram por longos anos no Brasil!"

Foi quando alguém com muita astúcia tomou uma atitude na empresa: colocaram na portaria da empresa um cartaz com os seguintes dizeres: "FALECEU ONTEM A PESSOA QUE IMPEDIA O SEU CRESCIMENTO E O DA SUA EMPRESA. VOCÊ É UM CONVIDADO ESPECIAL PARA O VELÓRIO NO GINASIO DE ESPORTES, NÃO FALTE!

A agitação no ginásio era imensa, todos queriam ver quem o impedia de crescer e estava levando a empresa à falência. Todos queriam ver a "cara do culpado" e se aproximavam ansiosos do caixão do "morto", enquanto comentavam entre si: "Agora sim, vamos reviver a empresa e salvar nosso trabalho. Ainda bem que esse infeliz morreu! Quem será que estava atrapalhando o meu progresso?"

Um a um, os funcionários se aproximavam do caixa olhavam estupefatos para o rosto do "defunto" e engoliam seco, e saiam em silêncio e cabisbaixo como que atingidos no fundo da alma.

É que dentro do caixão havia um espelho, e quando os funcionários olhavam e viam seu rosto estampado no vidro refletiam que o único culpado de nosso sucesso ou de nosso fracasso somos nós mesmos, e que tentamos culpar os outros porque isso é próprio do ser humano.

REFLETINDO: Uma empresa tinha quatro colaboradores: 1) Todo Mundo; 2) Alguém; 3) Qualquer um; 4) Ninguém. Havia, então, um trabalho super importante a se feito e Todo Mundo acreditava que Alguém teria competência bastante para executá-lo, e além disso Qualquer Um poderia fazê-lo facilmente, mas Ninguém o fez. Alguém ficou muito aborrecido porque entendia que a responsabilidade da execução do trabalho era de Todo Mundo. Este por sua vez pensou que Qualquer Um poderia executá-lo, mas Ninguém imaginou que Todo Mundo não faria o trabalho. E o final da estório todos já conhecem de trás pra frente: Todo Mundo culpou Alguém, quando Ninguém fez o que Qualquer um poderia ter feito!

Na verdade é muito cômodo e fácil colocar a culpa no outro pelos nossos próprios problemas e fracasos, mas, em vez de procurar o culpado, que tal acharmos logo a solução para o problema?

Pense nisso, e fica com a Luz de Deus! Sucesso!

(a) Adm.Jésus Fernandes Leão
  Visualizações desta Matéria:



sao paulo imobiliarias

[Extraido do boletim 37 do Consultor Gilcler Ferreira, disponível no sitio http://www.ceag.com.br/pages/html/boletins.php ]
LER O ARTIGO COMPLETO...

testando funcionalidade http://whos.amung.us/showcase/

estatistica em teste: whos.amung.us

?


AVISO ”A partir do ano 2017 todos os comentários somente serão respondidos se for indicado endereço de "email válido" para resposta, em virtude do grande número de solicitação de informações já postadas nos artigos!...”